Ideal – Extra Brilho (Roxo)

By

Eu andei pensando em como fazer resenha de top coat.

É uma coisa tão íntima… É que nem base: tem umas que são boas para X, ótimas para Y, mas para Z… Hm…. Não funciona.

E eu realmente tenho mania de comprar top coat, mesmo tendo um preferido da vida inteira: Seche Vite. Amo amo amo amo com todas as minhas forças. Mas eu continuo comprando top coat à torto e à direito. Motivo? Simples. Eu simplesmente (e realmente) gosto de testar as coisas e, às vezes, eu gosto de sofrer. Sempre me surpreendo positivamente, mas às vezes eu tenho dedo podre. E o que eu faço quando isso acontece?

Simples. Falo mal sem problema.

E foi justamente o que aconteceu com esse meu top coat da Ideal.

Ideal - Extra Brilho (Roxo).JPG

Eu sempre escutei maravilhas dele, que era isso, aquilo… E eu me empolguei né. Na primeira oportunidade peguei logo os dois disponíveis: o roxo e o transparente. Comecei logo pelo roxinho porque eu tive experiências boas com o ‘roxinho’ da Colorama (que vou postar aqui depois).

Minha impressão sobre ele? Eu sofri. Ele encolheu absolutamente TUDO que foi esmaltação. De tudo que é tipo de esmalte: nacional, importado, de balaio, indie… E eu trocava as bases, usava o esmalte sem base (e depois ficava toda manchada) e ele encolhia. E pelo nível do top coat dá para perceber que eu testei – e sofri – bastante.

Separei duas esmaltações para fazer uma análise mais minuciosa:

Whatcha - Bronze.JPG

No Bronze, da Whatcha, ele não encolheu TANTO, mas observem o dedo anelar,

Agora no Craving Coral, da Revlon

Revlon - Craving Coral.JPG

Não teve jeito: encolheu tudo, estragou tudo e eu fiquei realmente fula da vida. E olha, eu tentei. Juro que tentei gostar dele. Mas não rolou afinidade nenhuma.

Eu não vou mentir: estou com receio de usar o top coat transparente e passar raiva também.

Bolha-Gabs

Anúncios